Histórico:

- 21/06/2009 a 27/06/2009
- 08/02/2009 a 14/02/2009
- 01/02/2009 a 07/02/2009



Outros sites:

- UOL - O melhor conteúdo
- BOL - E-mail grátis
Templates by Thiago


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Contador:

Créditos:

Templates By Thiago



Meu Blog

Chá, Biscoitos e Muitas Histórias

 



- Postado por: Autora às 13h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




A História do Biscoito

O BISCOITO é o produto obtido pela mistura, amassamento e cozimento conveniente de massa preparada com farinhas e outras substâncias alimentícias.
 

História: A história do biscoito vem desde o tempo dos homens das cavernas. Nessa época, quando o homem já comia alguns grãos, triturando-os com os dentes, teve a idéia de moê-los com pedra. Depois passou a misturar com água e secá-los ao fogo.
 

 

Origem do nome: "Biscoito" , foi o termo usado para descrever o pão cozido por duas vezes, com a finalidade de conservá-lo por mais tempo sem estragar. A origem está em duas palavras francesas: "Bis" e "Coctus" , significando "cozido duas vezes".
 

 

Atualidade: Hoje, é um dos maiores mercados de consumo. Calcula-se que nos últimos anos a produção nacional tem girado em torno de 1.000.000 de toneladas por ano, ou seja, algo em torno de 6 kilos de biscoitos consumidos por ano, para cada habitante de nosso país.



- Postado por: Autora às 17h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




BISCOITOS QUE TRAZEM LEMBRANÇAS...

Ao contemplar o enorme pote de vidro repleto de pequenos biscoitos açucarados, (mais ou menos 50), levei a mão rosto para enxugar a lágrima que, inadvertidamente escorria por ele. Não era lágrima de tristeza, mas de uma serena saudade que a doce lembrança da vóvó acalentava em meu peito.
As tardes da minha infância haviam sido recheadas de pequenas histórias, que ganhavam vida na voz e interpretação da minha avó, enquanto nos lambuzávamos de farinha, na aconchegante cozinha da sua casa. Chovesse ou fizesse sol, aventuradas em uma nova receita ou apenas repetindo uma da minha preferência, o pretexto para esta deliciosa convivência acabava criando raízes em volta do fogão.
A grande e familiar bacia azul, era colocada em cima da mesa, e eu, orgulhosa da minha função, corria para pegar os ingredientes no armário, à medida que estes eram solicitados. Quatro xícaras de farinha de trigo. (Às vezes eu assoprava, apenas para provocar o sorriso límpido que se desenhava naquele rosto vivido, emoldurado pelos cabelos brancos). Duas xícaras de açúcar. Uma colher (de sopa) de fermento em pó. Trezentos gramas de margarina com sal. Três colheres (de sopa) de raspa de laranja. (Que a vóvó já reservara em um pires). Uma colher (de sopa) rasa, de canela em pó. Três ovos. (Ah, os ovos estavam naquela galinha de arame, que nos primeiros anos da minha infância despertara-me tanto a curiosidade).
As mãos que manejavam as agulhas com habilidade para confeccionar casaquinhos para os bebês da família, que já haviam me dado banho, que me faziam carinho, agora misturavam e amassavam com firmeza todos os ingredientes, até transformá-los numa massa consistente, (nem muito mole, nem muito dura, mas consistente o suficiente para que se fizessem bolinhas com ela). Colocavam-se as bolinhas em uma assadeira levemente untada com óleo, (as quais, devido à minha colaboração variavam de tamanho). A assadeira ia para o forno pré-aquecido, durante aproximadamente quinze minutos, enquanto nos ocupávamos enchendo outra.
Apesar de ter se tornado a receita que mais repetíamos, era sempre com grande ansiedade que eu corria para a porta do forno, na expectativa de ver sair dele o resultado da nossa brincadeira. Os biscoitos eram retirados e, ainda quentes, dispostos cuidadosamente numa outra assadeira cheia de açúcar refinado, e polvilhados com o mesmo. Depois de frios, uns eram colocados em um grande pote de vidro, outros, acompanhados de chá ou chocolate, faziam parte do epílogo destas tardes maravilhosas, ao embalo de histórias que, sem dúvida, ajudaram a construir a minha própria história de vida.

(É permitida a reprodução deste texto, desde que seja citada sua origem e autoria: www.sensibilidadeesabor.com.br; Cris da Silva.)



- Postado por: Autora às 14h16
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Biscoitos Caseiros

 

Biscoitos caseiros

Para a fabricação de biscoitos caseiros, os cuidados de higiene devem ser

rigorosamente seguidos, estendendo-se às pessoas que fabricam o produto,

às instalações e equipamentos, à matéria prima e embalagens utilizadas.

O tipo, a qualidade e a proporção dos ingredientes são fatores determinantes

da qualidade dos produtos fabricados.

Outros pontos importantes, e que devem ser observados:

Temperatura dos ingredientes durante o preparo;

Ordem e métodos de misturar os ingredientes;

Temperatura e período de tempo para assar.

Do uso correto do forno dependerá o sucesso das quitandas, portanto,

é necessário estar atento e usar sempre a temperatura indicada nas receitas.


Temperaturas do forno

Cada forno tem suas especificações,

mas basicamente as temperaturas correspondem a:

Forno muito baixo

120 a 135ºC

Forno baixo

150 a 160ºC

Forno moderado

160 a 190ºC

Forno quente

200 a 220ºC

Forno muito quente

230 a 240ºC

Forno extremamente quente

270 a 275ºC



- Postado por: Autora às 13h24
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




O biscoito da vida...

Uma moça, estava a espera de seu vôo na sala de embarque de um

aeroporto. Como ela deveria esperar por muitas horas, resolveu

comprar um livro para matar o tempo, também comprou um pacote

de biscoitos. Então, ela achou uma poltrona numa parte reservada

do aeroporto, para que pudesses descansar e ler em paz. Ao lado

dela se sentou um homem. Quando ela pegou o primeiro biscoito,

o homem também pegou um, ela se sentiu indignada, mas não

disse nada, ela pensou para si: "MAS QUE CARA DE PAU, SE EU

ESTIVESSE MAIS DISPOSTA, LHE DARIA UM SOCO NO OLHO PARA

QUE ELE NUNCA MAIS ESQUECESSE". A cada biscoito que ela

pegava, o homem também pegava um, aquilo a deixava tão

indignada que ela não conseguia reagir. Restava apenas um

biscoito e ela pensou:"O QUE SERÁ QUE O ABUSADO VAI FAZER

AGORA?". Então, o homem dividiu o biscoito ao meio, deixando a

outra metade para ela. Aquilo a deixou tão irada e bufando de raiva,

ela pegou seu livro e suas coisas e dirige-se ao embarque.

Quando sentou-se confortavelmente em seu assento, para

surpresa dela o seu pacote de biscoito estava ainda intacto,

dentro de sua bolsa. Ela sentiu muita vergonha, pois quem estava

errada era ela e já não havia mais tempo para pedir desculpas.

O homem dividiu o seus biscoitos sem se sentir indignado,

ao passo que isto lhe deixara muito transtornada.

Em nossas vidas, por vezes, estamos comendo biscoitos dos outros

e não temos a consciência de que quem está errado somos nós...




- Postado por: Suzane Cardoso às 12h05
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Marataízes - Pérola Capixaba


PARA CONTATO: (28) 3532-4515 (28) 8115-4090 (28) 9963-8263

RUA GILMAR DA SILVA FONSECA Nº 76 BAIRRO SANTA TEREZA

MARATAÍZES / ES CEP: 29.345-000

Ademilson da Silva Duarte

Suzane Cardoso Luz Duarte



- Postado por: Suzane Cardoso às 15h24
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________


Layout Exclusivo por Thiago de Oliveira - Todos os direitos Reservados!